21 de abril de 2006

Quienes me gustan


Gracias, Adriana, gracias por escribir mejor de lo que yo hubiera hecho, ese manifiesto en el que me sigo reiterando cada día.




SENHAS

Eu não gosto do bom gosto
Eu não gosto do bom senso
Eu não gosto dos bons modos
Não gosto
Eu aguento até rigores
Eu não tenho pena dos traídos
Eu hospedo infratores e banidos
Eu respeito conveniências
Eu não ligo pra conchavos
Eu suporto aparências
Eu não gosto de maus tratos
Mas o que eu não gosto é do bom gosto
Eu não gosto do bom senso
Eu não gosto dos bons modos
Não gosto
Eu aguento até os modernos
E seus segundos cadernos
Eu aguento até os caretas
E suas verdades perfeitas
Mas o que eu não gosto é do bom gosto
Eu não gosto do bom senso
Eu não gosto dos bons modos
Não gosto
Eu aguento até os estetas
Eu não julgo a competência
Eu não ligo para etiqueta
Eu aplaudo rebeldias
Eu respeito tiranias
Eu compreendo piedades
Eu não condeno mentiras
Eu não condeno vaidades
Mas o que eu não gosto é do bom gosto
Eu não gosto do bom senso
Eu não gosto dos bons modos
Não gosto
Eu gosto dos que têm fome
Dos que morrem de vontade
Dos que secam de desejo
Dos que ardem…


Adriana Calcanhoto

1 comentario:

inquilino dijo...

qué suerte la nuestra, de tener un cicerone musical ;-)
anoto, anoto, sigo anotando.
me causarás un conflicto de convivencia como me sigas recomendando cosas. La curiosidad y la compra compulsiva son dos defectillos algo molestos cuando se comparte un piso pequeño